© 2019 Jefferson Sarmento

Download de contos

À medida que o tempo passa, entre um capítulo e outro, algumas pequenas histórias (outras um pouco maiores, eu admito) costumam pulsar na minha frente, pedindo para serem contadas.
Enquanto vou colecionando relíquias neste baú de contos, divido com vocês estas histórias.
Espero que tenham por elas a paixão arredia e tormentosa com a qual me dedico para escrevê-las.
Felícia

Uma pequena homenagem a H. P. Lovecraft e Edgar Alan Poe. Um narrador cético e sem muitos escrúpulos perdido numa pesadelo que pode devorar muito mais que sua sanidade.

Perdido numa estrada sem sinal, ele resolve fazer uma pequena parada para um café, antes de a noite cair por completo. A belíssima Felícia, penteando-se nua na janela, e o estranho proprietário da lanchonete (que parece cortar linguiça como quem corta dedos para servir aos cachorros) são apenas o começo de uma viagem bizarra, de um inferno com asas de demônio e cheio de alcovas seculares.

Confira o audiobook de Felícia clicando no botão abaixo.

Você será direcionado para a página do conto na plataforma Ubook, um dos melhores sites de audiobooks do momento.

 
 

Leia on line:

Nelson

O conto “Nelson” foi publicado originalmente em 2015, na coletânea “Os Desconhecidos: Contos Sobrenaturais”, organizada pela escritora Rô Mierling para a Editora Illuminare.

É uma uma pequena homenagem de fantasia a uma das figuras mais importantes da cultura popular brasileira e espero de verdade que você goste.

Quanto ao garoto Nelson, que narra a história... fiquei com a impressão de que vou vê-lo de novo, em outras páginas, em algum lugar do futuro.

Assista à narração:

 
A velha estrada

A Velha Estrada foi originalmente publicado em 1999, numa coletânea de trabalhos chamada Banco de talentos, editada pela Federação Brasileira das Associações de Bancos. É uma história pós-apocalíptica que bebe diretamente da fonte que inspirou Stephen King a escrever A Dança da Morte.

É um dos meus mais antigos contos e um dos mais queridos, talvez por guardar, ainda, um pouco do escritor buscando a própria voz que eu fui.

 

De qualquer forma como costuma dizer um amigo de longa data, é uma história honesta e divertida, talvez um pouco pretensiosa – mas quem não o é quando está começando?

Leia on line: