© 2019 Jefferson Sarmento

  • Jefferson Sarmento

Fascinante Leonard Nimoy!


Eu era garoto e meu desespero depois de terminadas as aulas no falecido Instituto Metodista Orlando Rossi, ali no centro da cidade, era pegar aquele ônibus da Autocomercial e chegar em casa antes de acabar o episódio do dia de Jornada nas Estrelas. Eu tinha quanto? Sete? Oito? Eu não tinha noção de que era vidrado numa série que teve seu início e fim antes que eu nascesse! O episódio piloto original, The Cage (1965), fora recusado e nem contava com a tripulação que veríamos na série (produzida de 1966 a 1969), tendo um capitão diferente, mas... estava lá o Sr. Spock!

Claro que eu ia para casa pensando em ser o Capitão Kirk! Mas Kirk nunca vinha à imaginação sozinho. E eu engoli o choro quando o Senhor Spock morreu em A Ira de Khan, em 1982. A cena final, em que os dois protagonistas se encaram através do vidro, palma sobre palma, Spock escorregando para a morte... Insuportavelmente maravilhosa, poderosa, aniquiladora! Não se poderia pensar em Jornada nas Estrelas sem o vulcano meio humano! Como eles mataram Spock?!?!? Como Kirk deixou que isso acontecesse?!?!?!?! Ao longo dos anos, vira e mexe esbarrava em algumas produções em que Leonard Nimoy aparecia numa ponta (como no ótimo Invasores de Corpos, de 1978) ou estava envolvido, como a engraçadíssima refilmagem americana de Três Solteirões e um Bebê, mas nada foi tão emocionante como vê-lo encarnar o Dr. William Bell em Fringe, uma série fantástica, herdeira direta de Arquivo X e Além da Imaginação. Senti um calafrio em sua primeira aparição...

Embora tenha trabalhado em centenas de produções (a maioria delas na TV, em séries como Gunsmoke, Missão: Impossível, participações em Agente 86, Daniel Boone, Hawhide com Clint Eastwood...), Leonard Nimoy será lembrado mundialmente pelo Dr. Spock. Houve uma época que ele tentava se desvencilhar disso, mas o tempo fez as pazes entre ator e personagem e os dois primeiros filmes que trouxeram de volta a franquia ao cinema não seriam os mesmos... talvez nem seriam! sem ele. Enfim... vou esperar que um novo mundo seja criado e a semente de Spock germine no planeta e ele renasça, como em Jornada nas Estrelas III, à Procura de Spock. Enquanto isso, pra não ser diferente de ninguém: Vida Longa e Próspera!

#LeonardNimoy #Spock #Jornadanasesrelas #RIP #Filmes #blog #Balaiodegato

4 visualizações